Por Diego Nascimento

“Com licença: será que posso interromper por um instante?” Essa pergunta tão famosa já foi utilizada por você em algum momento e garanto que nem sempre a receptividade foi positiva. A experiência se torna ainda mais traumática quando esse evento se passa durante uma importante apresentação na escola, faculdade, trabalho e até em igrejas. Diante disso surge a questão: como e de que forma posso interromper alguém?

Seria muito bom se isso não acontecesse, mas as interferências sempre aparecerão nos momentos mais inesperados de seu cotidiano. Sou um comunicador e já fui interrompido durante aulas, palestras, reuniões e conferências. Com o passar do tempo aprendi que paciência é um pilar fundamental para o controle das emoções, no entanto, há limites que precisam ser respeitados.

Costumo dizer que o “termômetro” de uma interrupção é o tempo. Apenas situações de risco e emergenciais onde “cinco minutos podem ser tarde demais” merecem prioridade nas interrupções. Imagine se somássemos todas as pausas que damos ao longo do dia por causa de interrupções desnecessárias? O resultado mostraria que o giro do relógio é mais precioso do que calculamos. Pensando nisso trouxe algumas dicas de postura e educação:

O exercício da ansiedade nos ensina a pensar dez vezes antes de manifestarmos algo. Conheço gente que não tem um pingo de bom senso para esperar e, em questão de segundos, cria conflitos interpessoais por fazerem da comunicação diária um monólogo (longa fala ou discurso pronunciado por uma só pessoa). Mas mantenha a calma: existe solução.

No próximo artigo aprenderemos sobre o que fazer quando somos interrompidos. Como agir? O que falar? Tenho absoluta certeza de que muita coisa melhorará em sua vida a partir dessa leitura.

Já interrompeu durante um momento inadequado? Conte-me a sua história e manterei segredo!

2 Responses

  1. Com certeza sim. Principalmente professores. Eu era uma questionadora implacável. rsrsrs

Leave a Reply

Your email address will not be published.