:::: MENU ::::

Plano de voo: organize sua vida, estudos e carreira

Por Diego Nascimento

Faço parte do aeroclube de minha cidade desde os meus 22 anos. Já perdi a conta de quantas vezes sobrevoei a região e observei cada detalhe visto lá de cima. Confesso que preciso retomar essa prática que tanto aprecio, principalmente porque foi a bordo de um monomotor modelo Cessna que aprendi uma das maiores lições de empreendedorismo e comunicação: quanto maior a altitude mais ampla é a visão. Embora eu não tenha me tornado um piloto, necessitei colocar em prática uma série de comandos que garantissem a estabilidade da rota de voo mais interessante que já conheci: a minha própria vida. É nessa trajetória que convido você a pensar comigo.

Tomamos decisões a todo instante. Algumas involuntárias; outras totalmente conscientes. Irei comparar esse momento à decolagem de uma aeronave. Qualquer falha de cálculo pode gerar consequências sérias e ameaçar a segurança do condutor e dos passageiros. Será que por impulso ou pela emoção você disse ou fez algo que a curto ou médio prazo trará dores de cabeça para sua família, clientes e colegas de trabalho? Atitudes individuais refletem em grupos que você nem imagina.

Mesmo com tantos equipamentos na cabine todo piloto enfrentará uma turbulência. É um fenômeno que a natureza explica. Balança o avião por inteiro, mas a perícia do comandante faz toda a diferença para que essa fase da viagem seja, digamos, imperceptível em alguns casos. Você tem passado por alguma turbulência? Discutiu na empresa ou em casa? Reconheceu seus erros? O que tem feito para retomar o equilíbrio e o bom senso?

Por último vem o pouso, um dos momentos mais desafiadores da arte de voar. Sempre vejo gente agarrada nos braços das poltronas na mais pura manifestação do medo. Quando menos percebem já estão em terra firme. Mas um procedimento aparentemente simples é fruto de uma série de regras que fazem da cabine do avião um enorme centro de operações, de sintonia e inteligência. Seguindo essa ideia quero fazer duas perguntas:

  1. Aquela decisão que você tomou teve um “pouso de sucesso”, ou seja, trouxe os resultados que você esperava?
  2. Está pronto a “pousar” seus sonhos e objetivos com tranquilidade? Precisa de ajuda ou você se basta?

Criei esse cenário para mostrar como nossa jornada de estudante universitário, profissional do mercado de trabalho, aposentado, etc… exige prudência, sabedoria e limites. No início do texto eu disse que “quanto maior a altitude, maior a visão. ” Embora eu tenha experiência em certas situações sempre peço ajuda para AQUELE que tem a mais ampla visão mesmo quando as aeronaves não passavam de um rascunho no caderno de cientistas. A Bíblia ensina que Deus é sabedor de todas as coisas e conhece você e eu desde quando estávamos no ventre de nossas mães. É NELE que deposito minha confiança e direção quando tenho que preparar um texto na função de jornalista, um ensinamento no cargo de professor/palestrante/consultor, quando tenho que tomar uma decisão no papel de gerente ou simplesmente quando tenho que perdoar e amar alguém na função de ser humano.

Seja qual for seu cargo, área de atuação, idade ou endereço saiba que no voo da vida as turbulências virão. Muitas serão fruto de deslizes vindos de nós mesmos. Se o texto de hoje tocou seu coração e mente peço que reavalie suas atitudes e voe alto. Mas lembre-se de preparar seu Plano de Voo conforme o que está escrito no livro de Isaías, capítulo 40, verso 31 (Bíblia Sagrada): “Mas os que esperam no Senhor renovarão as forças, subirão com asas como águias; correrão, e não se cansarão; caminharão, e não se fatigarão.”

Quer repensar algo que tenha feito no calor da emoção? Aja! Pode ser que ainda tenha conserto!


So, what do you think ?