:::: MENU ::::

Nem tudo é o que parece

Por Diego Nascimento

Essa semana recebi um interessante relato compartilhado por uma leitora assídua dos meus artigos. Após um longo dia de estudos no curso de pós-graduação, minha amiga (que na ocasião chamarei de Srª X), avistou ao longe umaloja de doces. Sendo uma mãe dedicada ela decidiu comprar alguns deliciosos bombons. Foi nesse momento que aaventura começou: havia uma placa na gôndola da doceria com os seguintes dizeres: “1 bombom por R$0,80 ou leve 3 por R$2,50.” Se fizermos rapidamente os cálculos veremos que, em consideração ao preço unitário do chocolate, pagaremos R$0,10 a mais caso optemos pela compra de três bombons.

O erro de informação era visível e traumatizante. Na perspectiva da política da boa vizinha, a Srª X avisou a vendedora sobre o erro, recebendo a seguinte resposta: “Sim, de fato houve um engano. Quem colocou a placa foi a outra funcionária e apenas ela poderá fazer a troca.” Perplexa, aquela pobre mãe que queria apenas levar alguns bombons para casa ainda ouviu da atendente que, em função da placa, o valor cobrado pelos três bombons seria, de fato, R$2,50.

Embora pareça um quadro de piadas da TV, esse evento ocorreu em uma tradicional localidade do nosso Brasil. Quero dizer apenas que essa foi apenas a ponta do iceberg. O despreparo, aliado a falta de bom senso e pró-atividade, contribui consideravelmente para a insatisfação dos clientes, perda de visibilidade e total descaso com o profissionalismo. Quando o assunto é vendas, é fundamental estarmos atentos a comunicação que é realizada. Um deslize pode resultar em perdas irreparáveis.

E quanto a Srª X? Ela retornou na manhã seguinte ao estabelecimento e a placa continuava lá, no mesmo lugar, com o mesmo erro. Mais uma vez decepcionada, aquela profissional do Direito registrou a situação por meio de uma fotografia e informou os órgãos competentes.

Quer compartilhar experiências? Esteja a vontade. Estou pronto para ouvir!


So, what do you think ?